A Raça

Origem da Raça

O Bernese Mountain Dog, chamado oficialmente no Brasil de “BOIADEIRO BERNÊS”

Originou-se na Suíça como cão de fazenda. Existem relatos que seus ancestrais surgiram na Suíça em fazendas do período Neolítico. Por essa razão defendemos que sua origem é extremamente pura e consistente, sem a interferência de outras raças, fazendo com que o Bernese LEGITIMO não se admite desvios de temperamento.

A uniformidade, a pelagem tricolor e o temperamento destes cães vieram do estilo de vida dos fazendeiros suíços, permitindo o desenvolvimento de um cão alerta, imponente, protetor e acima de tudo amigo, companheiro, disposto ao trabalho, pois dedica-se ao seu dono incondicionalmente.

Devido ao frio extremo, eram criados dentro das casas juntos com as famílias, por esse motivo são considerados dóceis e sociáveis.

Os primeiros cães de fazenda Suíços eram usados para guarda, proteção e transporte de pequenas carroças com produtos da fazenda, principalmente o leite. Sua principal atividade era cuidar e proteger os rebanhos, tarefa que originou a denominação de “cães pastores dos Alpes”. Portanto era preferível utilizar cães que não mostrassem traços ou instinto de caça, mas que fossem fortes e alertas para proteger os rebanhos de animais predadores. Essas qualidades exigiram um cão grande e forte que fosse tanto obediente como autoconfiante.

Caracteristicamente, o Boiadeiro Bernês, age como integrante da propriedade e do seu território e isso ainda pode ser notado nos dias de hoje, pelo modo alegre e contagiante como esta raça saúda seus donos em sua casa.

Hoje o Boiadeiro Bernês é admirado no mundo inteiro graças a sua adaptabilidade e sociabilidade em família e sua pelagem tricolor com marcações bem definidas. Por isso é conhecido por muitos como o cão da família, pelo seu espírito protetor, amigo e companheiro.  Apesar de seu porte grande não se trata de um cão de ataque, porém está sempre alerta e preparado a avisar seus donos de qualquer movimento estranho que aconteça em suas casas ou propriedades.  Atualmente se tornou literalmente um grande cão de companhia, que não se cansa de pedir a atenção de todos que estão ao seu redor.

Nosso Depoimento Sobre a Raça

O criatório, a nossa história - desde 2008

Em 1997 quando conhecemos a raça Boiadeiro Bernês em uma fazenda em São Vicente do Sul ficamos impressionados com a beleza e exuberância deste Cão, mas não imaginávamos que se tratava de uma raça tão especial, agora entendemos, pois convivendo diariamente com eles e observando as atitudes, os olhares, o temperamento, a obediência, a insistência de pedir carinho e atenção.... Podemos dizer, é incrível !!! Eles mudam as pessoas.

Em dezembro de 2008, tivemos uma grande surpresa ao receber de presente nosso primeiro Bernese (Átila), e a partir daí nossa paixão pela raça só cresceu, nos tornando criadores de Boiadeiro Bernês. 

Além do prazer do convívio com os nossos cães, um dos objetivos de nossa criação está focada na proteção da raça no Brasil, buscando sempre o melhor para nossa criação. Para isto, primamos pela preservação da raça, observando alguns critérios de seleção como: temperamento, estrutura, pelagem exuberante, conformação e movimentação.

Ao longo desta caminhada, abdicamos da vida pessoal para nos dedicarmos a eles. O trabalho desenvolvido à criação, não permite férias, não tem horário, é ininterrupto, exige dedicação exclusiva e determinação, mesmo assim, tudo isso não é suficiente. O gosto da criação vem de berço, não tem fórmula, não tem teoria, simplesmente amor.

Quando decidimos iniciar esta jornada foi de forma obstinada, sem perspectivas, apenas a vontade de desenvolver o que amamos, por óbvio, sempre buscando uma saúde financeira para manter tudo funcionando, sim, é caro, nem nos referimos ao custo mensal, mas aos investimentos para chegar até aqui. Ao longo desses anos adquirimos 23 cães, sendo 21 importados, alguns constituíram a base de nosso Plantel. A todos esses cães devemos o nossa reverência e agradecimento.

Estamos apenas compartilhando alguns conceitos os quais acreditamos para nossa criação. A arte de criar é a arte de mudar o próprio destino. A alquimia de misturar conhecimentos científicos, feeling, alimentação, gestão, manejo, mão de obra, preparo físico... tudo isso, sem desconsiderar as forças naturais. Sobre estas forças não temos controle. O homem não tem a capacidade de superar tais forças, mas o criador, tem a missão de a cada primavera, desafiar as leis da natureza e impor o seu conhecimento em busca da evolução, do melhoramento genético.

Acreditamos que no ciclo da vida todo ser humano precisa: ser criança, amar alguém, ter uma família, ter filhos, ser vovô(ó), ter um cão e ser amado por ele!